Livro para ler em 1 dia ❤


Ola leitores 😄
Como vocês estão?

O final de semana começou e nada melhor do que descansar e colocar as leituras em dia!
Pensando nisso vou indicar para vocês mais um livro para ler em um dia

Essa vai diretamente para quem adora contos, leituras rápidas e gosta e/ou conhece o universo de Harry Potter! 

Os contos de Beedle, o Bardo [J.K. Rowling]

Sinopse: Contém cinco histórias repletas de aventura, astúcia, desgostos e, naturalmente, magia. Traduzida das runas originais por Hermione Granger e apresentada aqui com extensos comentários de Alvo Dumbledore, esta maravilhosa edição esclarece esses contos clássicos aos leitores modernos. Com introdução, notas e ilustrações de J.K. Rowling, esta coleção emocionará e dará imenso prazer a bruxos e trouxas também.
Ganhei esse livro no meu aniversário e ele veio no box Biblioteca de Hogwarts com as novas versões de Quadribol através dos séculos e Animais fantásticos & Onde habitam. Essas edições estão maravilhosas demais, são muitos lindas e para quem é fã vale a pena mesmo ter na estante


Bom, o livro tem 128 páginas e é divido em 5 contos clássico do mundo dos bruxos, sendo eles:

O Bruxo e o Caldeirão Saltitante
A Fonte da Sorte
O Coração Peludo do Mago
Babbitty, a Coelha e seu Toco Gargalhante
O Conto dos Três Irmãos

Os contos são ótimos e obviamente cheio de aprendizados. Gostei de todos, mas meu preferido é O Contos dos Três Irmãos que foi citado no filme Harry Potter e as Relíquias da Morte.

Ao final de cada conto temos o nosso querido Dumbledore explicando os principais pontos e os reais significados de cada um. Essa foi uma parte que realmente adorei! 

Super recomendado para quem curte contos e para quem é fã de Harry Potter é nostálgico ler os comentários de Alvo Dumbledore.

Alguém já leu?
Conta aqui embaixo o que achou 👇🏻😀


Maratona Litertária de Inverno 2017 | #MLI2017



Olá leitores 👋
Como estão?

Já vou avisando que estou bem atrasada com relação ao tema do post, mas mesmo assim é válido! hahahaha Resolvi, finalmente, participar da maratona literária de inverno criada pelo canal Geek Freak. Perdi a data da inscrição, mas fui incentivada pela Letícia do blog Por Dentro do Livro a participar mesmo assim 😄

A #MLI2017 começou dia 16/07 e vai até dia 30/07 e os desafios foram divididos em 3 níveis [fácil, intermediário e hardcore]. 

Como eu não me planejei muito e é a primeira maratona que vou participar, optei pelo desafio TBR Fácil, onde lerei:

Ler um livro com a capa azul
Ler um livro com menos de 200 páginas
Ler um livro que você comprou pela capa


Bom, minhas escolhas foram 👇


Antes de Partir [Colleen Oakley]

Quer saber mais sobre a maratona, confira no vídeo abaixo:


Essas foram as minhas escolhas, são livros que eu realmente queria muito e com a maratona nenhum outro vai passar na frente

O que acharam dos livros escolhidos?
Estão participando da #MLI2017?


Resenha: Pride and Prejudice, Jane Austen

Resultado de imagem para pride and prejudice gifs

Olá leitores.

Essa semana estou com uma missão que considero das mais difíceis. Venho aqui escrever a resenha do livro de cabeceira da Raíssa: Orgulho e Preconceito da Jane Austen.

O que me levou a finalmente ler o livro pela primeira esse ano foi uma combinação da insistência da Raíssa, da minha vontade contínua de ler os clássicos da literatura e o fato que esse ano estou lendo apenas livros escritos por mulheres (escrevi sobre o desafio nesse post aqui). Orgulho e Preconceito foi o primeiro livro que eu comprei esse ano e finalmente criei coragem pra compartilhar com vocês o que achei dele.

Bom. É conhecimento de todos que Orgulho e Preconceito é um clássico. Ele já foi adaptado de todas as maneiras possíveis: filme (até mesmo na Índia), série, e até livro de zumbis ele já virou (resenha de Orgulho e Preconceito e Zumbis aqui), além de ter sido referência para outras obras como O Diário de Bridget Jones.

Clube Skoob | Junho


Olá leitores!
Tudo bem com vocês? 😀

Hoje venho aqui com mais essa super novidade para vocês. A rede social mais famosa de livros no Brasil acaba de lançar sua mistery box literária. Isso mesmo, o Skoob acaba de lançar o Clube Skoob, onde todo mês será enviada ao assinante uma caixa com um tema definido com vários itens super legais.

Todo mês a inscrição para assinatura é aberta no site e há uma contagem regressiva para se inscrever antes de vagas se esgotarem. Há a possibilidade de escolher entre dois kits literários, sendo eles, a Caixa Clube Skoob Especial que vem com 1 livro e de 3 a 5 brindes especiais e a Caixa Clube Sbook que vem com 1 livro e de 1 a 2 brindes especiais. Ou seja, dá para escolher a que se encaixa melhor em seu orçamento 🙌

Para saber mais sobre as caixas, como assinar e conhecer mais sobre os itens das caixas anteriores clique aqui.

Eu adorei saber dessa novidade, afinal uso a rede social há bastante tempo e A-M-O essas caixinhas literárias. Então assinei e recebi a minha primeira caixa, que foi do mês de Junho, e vou apresentar ela para vocês 🙂

O tema escolhido para o mês de Junho foi AMOR ❤️

Bom, já vou avisando que eu morri de amores pela caixa e por todos os itens que foram colocados e relacionados com o tema e o livro, simplesmente sensacional! A minha assinatura foi do kit Caixa Clube Skoob Especial com 1 livros e 5 brindes.


Os itens foram:

1 livro surpresa
1 copo/caneca com canudo 
1 coração antiestresse
1 marcador de página especial
1 saquinho de sabonetes de coração
1 camiseta com o Baby Groot
1 bottom
1 tag explicativa
1 carta de boas-vindas para novos assinantes

Achei a caixa muito bem montada e com itens muito bem escolhidos. Eu gostei muito e valeu super a pena a assinatura. O mais interessante, para mim, foram os detalhes e a delicadeza para a embalagem de tudo. 



E o livro? Era um dos que eu mais estava querendo, e para mim foi uma surpresa maravilhosa



Mil beijos de garoto [Tillie Cole] é um livro que estou super ansiosa para ler, está super bem recomendado e em breve teremos resenha dele por aqui. Confira a sinopse aqui.

Já estou com a caixa de Julho assinada e ansiosa para receber. O tema escolhido foi ESPETÁCULO!

Eu gosto bastante dessas caixas de assinatura, e vocês?
Conta aqui embaixo o que acharam dessa novidade e se vocês assinam alguma mistery box 🙂


Resenha: The Power, Naomi Alderman

Olá leitores, tudo bem?

Antes de mais nada um pedido de desculpas aos leitores do blog que não leem livros em Inglês. O livro que escolhi para a resenha de hoje ainda não foi lançado em português. Acredito (quero acreditar) que depois de ele ter ganho o Baileys Women’s Prize for Fiction 2017 alguma editora decida lançá-lo no Brasil.  Mas ele é tão bom, que decidi não esperar pelo lançamento para escrever a resenha.

Fonte: The Skinny

“The world is the way it is now because of five thousand years of
ingrained structures of power based on darker times when things
were much more violent and the only important thing was - could
you and your kin jolt harder? But we don’t have to act that way now.
We can think and imagine ourselves differently once we understand
what we’ve based our ideas on”.
[Naomi Alderman. The Power, p. 338]

The Power, foi um livro que eu namorei por umas boas semanas. Ele ficou por muito tempo exposto na vitrine da livraria pela qual eu passo todos os dias a caminho do trabalho. Foi inevitável não ficar curiosa pelo conteúdo, ainda mais que anunciavam ser uma mistura de “O Conto da Aia” [que já tem resenha aqui no blog] e Jogos Vorazes. Duas distopias que simplesmente adoro.

Comprei. Li. Me apaixonei. E finalmente estou aqui para recomendá-lo para vocês.

Naomi Alderman é uma autora inglesa que eu ainda não conhecia.  Seu primeiro livro, Disobedience, foi lançado em 2006. Em 2012, Naomi foi selecionada como protegé  de Margaret Atwood como parte do Rolex Mentor and Protegé Arts Initiative, um programa filantrópico internacional que une mestres com novos talentos de diferentes disciplinas para um trabalho criativo. Como resultado desse intercâmbio de ideias, The Power, o quarto romance de Naomi, uma distopia influenciada por e dedicada a Margaret Atwood.

“The Power” é na verdade o título do romance histórico que o personagem Neil Adam Armon escreve na distopia apresentada por Naomi Alderman. É intrigante pensar que é um personagem masculino que abre o livro que todos os jornais anunciaram ser feminista. O que esperar dessa história?

Acompanhamos desde o início quatro personagens: Roxy, uma adolescente inglesa parte de uma família de mafiosos; Margot, prefeita de uma cidade norte-americano; Allie, uma adolescente americana que vive com sua família adotiva; e Tunde, um jovem nigeriano que que seguir a carreira de jornalista.

É a partir da história de cada um que acompanhamos a descoberta de um poder que se manifesta apenas em adolescentes do sexo feminino. Jovens ao redor de todo o mundo se descobrem agora capazes de criar correntes elétricas com as próprias mãos, uma habilidade muito parecida com que as enguias possuem.

Um novo poder que passa a ser visto com cautela por uns, como uma forma de se libertar de abusos por outros, de conseguir posições de poder por terceiros. A estrutura de poder que guiou a humanidade por anos e que mantinha os homens numa posição superior está abalada. O que jovens e mulheres por todo o mundo irão fazer com essa nova habilidade?

O poder se espalha, e o caos acompanha. Em países da Ásia e África mulheres se rebelam e tomam o poder. Nos EUA, campos de treinamento são criados e surgem cultos que adoram o poder como sendo algo divino.

De início é empolgante. Sim mulheres no poder. Girlpower. Yes!
Situações que mulheres no mundo real sofrem diariamente por simplesmente não serem homens, são apresentados numa ótica completamente diferente. Ler em The Power que mulheres eram capazes de realizar os mesmo atos: de roubarem produção intelectual alheia, de estupros coletivos, de reduzir o papel do homem à reprodução é extremamente perturbador.

O que Alderman nos apresenta não é uma busca por igualdade de gêneros mas o completo inverso. São mulheres buscando vingança por séculos de abuso e o resultado disso não é nem um pouco glorioso. A estrutura de poder é invertida. Da metade pra frente do livro tudo soa absurdo pelo fato que é quase inconcebível imaginar o sexo masculino no papel que foi de mulheres há séculos. E é bem isso que faz de The Power um livro poderoso: é como se víssemos a humanidade por um espelho. Se é absurdo no livro é mais ainda na vida real.

O livro entrou para a minha lista de livros feministas: sim eu tenho uma. Fazer parte do “Our Shared Shelf” tem ajudado e muito (eu falei sobre o clube de leitura nesse post).
É um livro que todos devemos ler. Alderman criou uma história que é impossível de parar de ler (eu li em um final de semana), que te prende, fascina e ao mesmo tempo informa e te põe pra pensar. É uma distopia maravilhosa, apesar de ser perturbador.

Livro RECOMENDADÍSSIMO! 😍

O que acharam? Ficaram com vontade de ler?
Deixem suas impressões aqui nos comentários 👇

Título:
The Power
Autor: Naomi Alderman
Editora: Penguin Books
Lançamento: 2017
Páginas: 341
ISBN: 978-06-709-1996-3

Imagem de capa retirada de" The Skinny ".