Resenha: A Desumanização, Valter Hugo Mãe

maio 10, 2016 2 Comments A+ a-

Título: A Desumanização
Autor: Valter Hugo Mãe
Editora: Cosac Naify
Páginas: 160
ISBN: 978-85-405-0654-1
Lançamento: 2014
Gênero: Ficção, Literatura portuguesa
Onde comprar: Amazon
Links: Skoob
Avaliação: ★★★★

Sinopse: Quarto romance do aclamado escritor português a ser lançado pela Cosac Naify, A desumanização se passa na paisagem inóspita dos fiordes islandeses. Narrado por uma menina de 11 anos que nos conta, de maneira muito especial, o que lhe resta depois da morte da irmã gêmea, o livro é feito de delicada melancolia e extrema beleza plástica.

O romance A Desumanização do escritor português Valter Hugo Mãe tem como cenário a Islândia, país escandinavo pelo qual o autor nutre uma paixão. O livro é considerado uma homenagem, uma declaração de amor dele pelo pais.
“Sei que este livro é uma declaração de amor esquisita, mas é a mais sincera declaração de amor aos fiordes do oeste islandês”. [p.154 - Nota do autor]
A homenagem pode ser considerada não muito comum, mas é escrita de forma muito bonita. Com uma narrativa repleta de lirismo e poesia, a história contada de Halla, que perdeu sua irmã gêmea, e como ela e sua família lidam com essa perda e essa dor, resulta em um livro belíssimo.

Hvitserkur, Islândia. (Fonte: Escape Reality)
Acredito que a solidão seja o tema mais abordado em todo o livro. De irmãs gêmeas, vistas como uma dupla, como reflexos de um espelho, que se complementam, Halla se vê de repente só. Sua principal companheira, Sigridur já não está mais com ela. A comunidade em que vi vive, a vê como a outra metade da irmã morta.
“O inferno não são os outros, pequena Halla. Eles são o paraíso, porque um homem sozinho é apenas um animal. A humanidade começa nos que te rodeiam, e não exatamente em ti”. [p.15]
Ler o livro é uma reflexão constante. A personagem Halla é a narradora e juntamente com ela refletimos, o que significa a solidão; o que significa a perda de um ente querido; o que significa a humanidade e consequentemente o que seria a desumanização. Acompanhamos Halla no seu caminho de amadurecimento de criança para a adolescência, no seu entendimento da condição feminina mostrando sua transformação, na sua melancolia e o pesar que marcam esse momento.
“Sobre a beleza o meu pai também explicava: só existe a beleza que se diz. Só existe a beleza se existir interlocutor. (...) A beleza é sempre alguém, no sentido em que ela se concretiza apenas pela expectativa da reunião com o outro”. [p.27]
E tudo isso descrito, como já disse, de maneira fantástica e bela, dando ao livro um tom de irrealidade, de um livro mítico, apesar de a descrição e a narração conterem elementos realistas.

Essa é a minha recomendação de leitura e resenha da semana! Espero que tenham gostado.


27 anos, arquiteta, restauradora e nas horas vagas fotógrafa e masterchef. Bookaholic morando nas terras do Tolkien, Lewis, Rowling, Dahl, Carrol.

2 comentários

Write comentários
Luana Melo
AUTHOR
11 de maio de 2016 12:07 delete

Oi Aline!
Esse livro me parece ser lindo. E mais ainda por tratar de assuntos tão profundos quanto à solidão.
Valeu pela dica e parabéns pela resenha!
Beijos!
Lua.

http://luahmelo.blogspot.com

Reply
avatar
11 de maio de 2016 13:58 delete

Oi Luana, obrigada pela visita.
Esse livro é lindo mesmo. Como disse a pessoa que me recomendou o livro "prepara os lencinhos".
Beijos

Reply
avatar