Resenha: Os Elefantes Não Esquecem, Agatha Christie

18:00:00 0 Comments A+ a-


Título: Os Elefantes Não Esquecem
Autores: Agatha Christie
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 168
ISBN: 9788520936528
Lançamento: 2014
Gênero: Romance Policial
Onde comprar: Amazon - Saraiva - Submarino
Links: Skoob
Avaliação: ★★★★★
Sinopse: Perguntada a respeito da intrigante morte dos pais de sua afilhada, ocorrida há catorze anos, a escritora Ariadne Oliver não vê outra alternativa senão pedir ajuda a seu velho amigo, o detetive Hercule Poirot. Afinal, o que exatamente aconteceu no penhasco onde o casal foi encontrado? Será que um atirou no outro e, em seguida, tirou a própria vida? Ou teria sido um pacto suicida? É chegado o momento de desenterrar velhas lembranças e tentar dar algum sentido a essa surpreendente história.

Sou grande fã de romances policiais, é de longe meu estilo favorito de leitura. Agatha Christie é considerada a Rainha dos crimes, e posso dizer que concordo. Sou fascinada por seus livros e sua criatividade para escrever tantas histórias. Os Elefantes Não Esquecem foi publicado em 1972, considerado por uns como um livro com enredo previsível, por outros como mais um ótimo livro da Agatha. Pessoalmente considero sim, uma história um pouco previsível, porém para os leitores ávidos de Agatha Christie, que já estão acostumados com seu tipo de escrita e desenvolvimento da história. E convenhamos, como diz Miss Marple (personagem que aparece em muitos livros da Agatha): "Muitas vezes a solução mais previsível é a mais correta, já que ninguém acredita nela por ser tão previsível". Uma história que irá mexer com suas memórias, então vamos aos fatos!

Sra. Ariadne Oliver é uma escritora de romances policiais famosa. Ela foi convidada para um evento onde será homenageada junto com outros escritores. Normalmente seria um convite que ela recusaria, por não saber lidar muito bem com a fama e os fãs, mas decide comparecer. Sra. Oliver está perfeitamente bem até ser abordada pela Sra. Burton-Cox. Ela desejava saber sobre uma história do passado, sobre o casal Ravenscroft.
"Só sei que, na época, comentaram as brigas do casal em razão de um possível namorado ou amante dela. Claro que se aventou a hipótese de ele te uma amante ... O caso é que nada ficou esclarecido e foi finalmente abafado, devido à alta patente do general Ravenscroft. Disseram também que ele já estava muito doente e que não era mais responsável pelos seus atos." - Sra. Burton-Cox
Este casal teve um final trágico, foram encontrados os corpos na beira de um penhasco, cada um levou um tiro e havia apenas uma arma entre eles no chão. Por falta de provas a policia declarou como duplo suicídio e o caso foi encerrado. Este caso ocorreu cerca de 14 anos antes, porém o casal deixou uma filha, Celia Ravenscroft. Celia é afilhada da Sra. Oliver, e está noiva do Sr. Desmond Burton-Cox. Nesta parte começamos a ver o jogo de interesses, a Sra. Burton-Cox contatou a Sra Oliver apenas para saber se foi a Sra. Ravenscroft que matou o marido, ou se foi o Sr. Ravenscroft que matou a esposa. Essa resposta parece ser crucial para ela, pois tem medo do casamento entre seu filho Desmond e Celia. Como se trata de algo antigo e por ter sido encerrado por falta e provas, a Sra. Oliver se esquiva deste problema e pede que a Sra. Burton-Cox esqueça tal assunto, mas ela mesma não consegue esquecer. Sra. Oliver resolve pedir ajudar para seu velho amigo e detetive Hercule Poirot, que aceita ajudar sua velha amiga.
"Se pudesse acreditar em mim saberia que essa história está precisando é da verdade, não da fantasia ou da suspeita. Uma moça e um rapaz que se amam temem o futuro por causa do que aconteceu com os pais e da maldição que poderiam herdar." - Hercule Poirot
Ajuda-la se torna cada vez mais difícil justamente por ser algo tão antigo. E na época não houveram provas para nenhuma outra conclusão além do duplo suicídio, imagine nos dias atuais. Porém Poirot  tem uma carta na manga, para ele existem outros meios de se desvendar um crime, e a única forma que eles tem de solucionar isso é indo atrás das pessoas  que eram próximas aos Ravenscroft. Afinal, Os Elefantes Nunca Esquecem.