Resenha: Os Pilares da Terra, Ken Follett

18:00:00 4 Comments A+ a-


Título: Os Pilares da Terra (The Pillars of the Earth)
Autor: Ken Follett
Editora: Rocco (Pan Books)
Páginas: 944 (1088)
ISBN: 978-85-325-2769-1 (978-03-304-5086-7)
Lançamento: 2012 (2007)
Gênero: Ficção Histórica, literatura inglesa
Onde comprar: Livraria Cultura - Saraiva
Links: Skoob (Skoob)
Avaliação: ★★★★★

Sinopse: Um mergulho na Inglaterra do século XII e na construção minuciosa de uma catedral gótica. Emocionante, complexo, pontilhado de coloridos detalhes históricos, Os pilares da terra traça o painel de um tempo conturbado, varrido por conspirações, jogos intrincados de poder, violência e surgimento de uma nova ordem social e cultural. A figura que melhor expressa os ideais que inspiraram Ken Follett a escrever este livro é Philip, prior de Kingsbridge, um homem que luta contra tudo e todos para construir um templo grandioso a Deus. Mas a galeria de personagens que gravitam em torno da catedral inclui Alienna, a bela herdeira banida de suas terras, Jack, seu amante, Tom, o construtor, William o cavaleiro boçal, e Waleran, o bispo capaz de tudo para pavimentar seu caminho até o lugar do Papa, em Roma. Como painel de fundo, uma Inglaterra sacudida por lutas entre os sucessores prováveis ao trono que Henrique I deixou sem descendentes. Épico que consegue captar simultaneamente o que acontece nos castelos, feiras, florestas e igrejas, Os pilares da terra é a recriação magistral de uma época que nossa imaginação não quer esquecer.


“Having faith in God did not mean sitting back and doing nothing. It meant believing you would find success if you did your best honestly and energetically.”

A Catedral de Kingsbridge em construção. Adaptação para a TV.
Vamos lá. Fazer resenha de um dos seus livros favoritos é bem difícil. Manter a distância, sem se empolgar muito vai ser quase impossível no meu caso. Os Pilares da Terra foi o livro que me apresentou Ken Follett (aqui no blog já fiz a resenha da Trilogia do Século, confere aqui) e suas ficções históricas.

O livro foi originalmente publicado em 1989, eu ainda nem tinha nascido. O autor era conhecido mais pelo gênero de thriller do que o de ficção histórica. Demorou para emplacar o sucesso, mas hoje é uma das obras mais vendidas e lidas do autor.

Assim como nos livros da Trilogia do Século, Os Pilares da Terra nos apresenta um conjunto de personagens, os quais acompanhamos por 20 anos. É um período bastante longo, não muito comum na literatura, mas garanto que a experiência de acompanhar a evolução e o amadurecimento dos personagens vale muito a pena. Ken Follett consegue apresentar todos eles sem se perder na narrativa na qual estão inseridos, deixando sempre um gostinho de quero mais.

A história está inserida no contexto do período conhecido como A Anarquia na Inglaterra do século XII. No conturbado período em que o país está em guerra para decidir como vai ser a sucessão do trono (no caso do livro estamos nos anos 1135 a 1155), vemos a cidade fictícia de Kingsbridge se transformar em um importante entreposto comercial e de peregrinação religiosa.

Mathew McFadyen como Prior Philip, na adaptação para TV.
É o prior Philip (não encontrei a tradução do termo, corresponde ao encarregado principal do monastério) que sonha em ver Kingsbridge crescer em torno de uma linda catedral. É ele quem autoriza a construção de uma nova catedral após a destruição por um incêndio da igreja existente. Contra a vontade de seu superior o bispo Waleran, que faz o possível para que a construção não se finalize.

O contratado para tal serviço é Tom Builder, um pedreiro habilidoso que necessita de um emprego para sustentar seus filhos: Alfred e Martha. Tom sempre realizou trabalhos na construção de casas e castelos, mas seu grande sonho é construir uma catedral.

Hayle Atwell como Alienna, na adaptação do livro para a minissérie.
Paralelamente, acompanhamos a história de Alienna, que ajuda seu irmão Richard na luta pelo título de nobreza que outrora pertencia ao seu pai. Título esse que foi perdido na guerra pela sucessão do trono. Ao longo dos anos Alienna se torna uma mulher forte e determinada, e seu amadurecimento e a prosperidade são fruto do seu esforço. Apesar de não concordar muito com a maneira como esse amadurecimento acontece, relevo pelo contexto histórico em que a história está inserida, no qual mulheres eram consideradas inferiores. Considero Alienna, pelo que conquista uma feminista, e por isso é uma das minhas personagens favoritas do livro.

Quem ganha o título de nobreza de seu pai é o Lorde Percy Hamleigh, cujo filho William Hamleigh era noivo de Alienna. William, é um ser desprezível e muito cruel. Entendo completamente a recusa de Alienna de se casar com ele, mas essa recusa acaba se tornando motivo de vingança de William sobre a família dela e ele é um dos principais personagens que atrapalham a vida de Alienna.

Ed Redmayne como Jack Johnson, na adaptação do livro para a minissérie.
Finalizando a apresentação dos personagens principais de Os Pilares da Terra, temos Jack Johnson ou futuramente Jack Builder. Filho de Ellen, uma mulher suspeita de praticar bruxaria, não conhece o pai, cuja identidade conhecemos mas não sabemos sua origem. O personagem Jack é extremamente inteligente e determinado, e assim como Tom, se torna um exímio arquiteto e pedreiro (stonemason em inglês parece muito mais importante).

“She wanted to say 'I love you like a thunderstorm, like a lion, like a helpless rage'...”.

A trama que se desenrola em torno da construção da catedral de Kingsbridge é recheada de intrigas e discussões políticas e religiosas, de problemas familiares e também de paixões arrasadoras (apesar de não ser o centro da história). Os detalhes de como funcionam as ordens religiosas, cobranças de impostos, hierarquia de cidades e vilas e os meandros da guerra de sucessão deixam tudo com um ar extremamente verídico e uma das maiores qualidades dessa ficção histórica.

“To someone standing in the nave, looking down the length of the church toward the east, the round window would seem like a huge sun exploding into innumerable shards of gorgeous color.”

Acompanhamos ainda a transição da arquitetura romanesca para a gótica, e aqui meu lado arquiteta fala mais alto; as descrições das etapas da construção de uma catedral, o detalhe dos arcos, contrafortes, vitrais fazem jus as mais bonitas catedrais góticas ainda existentes. A inspiração para a catedral descrita no livro veio de duas que ainda estão em pé: a Catedral de Salisbury e a Catedral de Wells.

Em 2010, o livro foi adaptado para uma minissérie de 8 episódios, atualmente disponível no Netflix, e contou com a participação de inúmeros atores conhecidos como Ian McShane (interpretou o bispo Waleron), Hayley Atwell (Alienna, e minha eterna Peggy Carter), Ed Redmayne foi o Jack, Sam Claflin como Richard (e pra mim vai ser sempre o Finnick de Hunger Games), Donald Sutherland como o pai de Alienna, e muitos outros.

A série é bastante fiel ao livro, apesar de não terem sido inclusos todos os plot twists que há no livro, a história faz sentido. Os figurinos e os cenários são muito bons, e para aqueles que tem dificuldade em visualizar a catedral apenas com as descrições de Ken Follett a série é uma mão na roda.

Resumindo, Os Pilares da Terra é um livro impressionante, envolvente e arrebatador. Um livro extremamente gratificante de se ler.

O que acharam? Gostariam de ler, já leram? Deixem seu comentário!

27 anos, arquiteta, restauradora e nas horas vagas fotógrafa e masterchef. Bookaholic morando nas terras do Tolkien, Lewis, Rowling, Dahl, Carrol.

4 comentários

Write comentários
5 de julho de 2016 20:46 delete

Oi Aline, me lembro de ter assistido á série e de ter gostado. Nunca havia passado pela minha cabeça a possibilidade de ler essa obra, mas a forma como você desenvolveu a resenha chamou minha atenção.
Beijos
Quanto Mais Livros Melhor

Reply
avatar
6 de julho de 2016 09:33 delete

Olá Priscila. Obrigada pela visita! Espero que você goste da leitura assim como eu!
Beijos

Reply
avatar
Sil
AUTHOR
6 de julho de 2016 17:03 delete

Olá, Aline.
Eu ainda não li nada do autor acredita? Mas só ouço elogios as suas obras. Achei que esse livro deve ser maravilhoso e enquanto não tenho o exemplar, que é claro que vou querer ler, vou assistir a série e me inteirar da história.

Blog Prefácio

Reply
avatar
7 de julho de 2016 08:18 delete

Olá Sil! Esse livro é de fato maravilhoso!
Assista a série sim. É excelente. E depois me conte como foi ler o livro!
Obrigada pela visita!
Beijos

Reply
avatar