Resenha: Perdido em Marte, Andy Weir

agosto 25, 2016 2 Comments A+ a-

Título: Perdido em Marte
Volume: Único
Autores: Andy Weir
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
ISBN: 9788580414486
Lançamento: 20
15
Gênero: Ficção
Onde comprar: Submarino - Americanas - Saraiva
Links: Skoob
Avaliação: ★★★★★
Sinopse: Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico e um senso de humor inabalável , ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

Já se imaginou em um planeta só para você? Sem comida, sem ajuda e sem ninguém? Como fazer para se salvar? E o mais importante, o que pode ser feito para (você não enlouquecer) você conseguir voltar para casa.

Primeiramente devo admitir que antes de ler o livro eu vi o filme. Eu errei, eu sei... Mas não é totalmente minha culpa, pois foi muito pouco divulgado, além de ser o primeiro livro do autor.

Não falarei aqui do filme (que por sinal é um dos melhores de 2015), falarei da história envolvendo o grande astronauta Mark Watney, que por causa de uma tempestade em Marte sofre um acidente que leva toda a tripulação da nave a achar que ele estava morto e voltam para a terra, deixando Mark literalmente comendo poeira.

Porém ele não estava morto, e começa assim uma corrida pela sobrevivência. Mark usa todo seu conhecimento em engenharia e botânica para conseguir superar a vida em um planeta onde ele é o único habitante.

Durante sua jornada Mark tem que superar desafios dos mais intensos, de comunicação com a terra até incidentes que podem colocar tudo a perder.

O mais incrível e legal, na minha opinião, é que o autor escreve e pensa de uma maneira que é totalmente possível e lógico. Eu sei que ainda a viagem até Marte é impossível, porém as resoluções de todos os problemas que ele enfrenta são possíveis nos dias atuais.

Indico esse livro para todo mundo, que assim como eu, sempre gostou de ciência e que sempre quis ter um planeta só pra si.


27 anos, e carinha do TI. Acha que a solução do mundo é 42. Medalhista olímpico de maratonas de séries, jogos e livros. Acredita que está preparado para um apocalipse zumbi, desde que tenha internet e gifs para compartilhar...

2 comentários

Write comentários
26 de agosto de 2016 10:22 delete

Oi, Breno!
Eu acho lindíssima essa capa, mas ainda não bateu a vontade de ler sabe...
Beijos
Balaio de Babados

Reply
avatar
26 de agosto de 2016 21:22 delete

Hello, boa noite!
Eu assistir o filme semana passada e ameiiii, estou louca para ler o livro!
Parabéns pela resenha, beijos!
Refúgio da Ju

Reply
avatar