Resenha: O Conto da Aia, Margaret Atwood

21:00:00 3 Comments A+ a-


"I avoid looking down at my body, not so much because it's shameful
 or immodest but because I don't want to see it. I don't want to look
at something that determines me so completely".
[The Handmaid's Tale, Margaret Atwood]

O Conto da Aia, da autora Margaret Atwood foi um livro que descobri num podcast sobre TV que escuto com frequência (o Spoilers Talk Show, que é super legal pra quem curte TV), porque o livro foi adaptado pelo Hulu para a serie "The Handmaid's Tale", cujo primeiro episódio foi ao ar 28 de maio.

Para a minha surpresa, uma feliz surpresa por sinal, quando terminei de ler o livro a Emma Watson anunciou o livro como sendo o escolhido para os meses de maio e junho do seu clube de leitura "Our Shared Shelf".

Ok, tudo bem, Aline, mas de que se trata o livro?

O livro é uma distopia, cuja trama se passa no futuro após um grupo ter tomado controle de um país (eu imaginei sendo os EUA, por conta da situação política atual, mas infelizmente é aplicável a vários outros e nenhuma descrição é explícita, então dá margens a interpretações), e a República de Gilead é instaurada.

Essa nova "república" é governada por uma religião fundamentalista que controla o corpo das mulheres. O constante contato com radiação e o uso indiscrimando de químicos fez as taxas de fertilidade caírem drasticamente e as mulheres que são capazes de gerar bebês saudáveis são raridade. Algumas das mulheres que ainda são capazes de gerar vida são então alocadas ao posto de aias para os Comandantes da República de Gilead, cujas esposas são inférteis e sua função é ficarem grávidas e gerarem um bebê saudável.

Essa história é contada pela aia Ofred, que descreve como é ter seu corpo controlado, sua alimentação, suas ideias em prol de um governo totalitário. A situação das mulheres em Gilead fica clara quando comparada com o passado de Ofred, quando era uma mãe que trabalhava e tinha um relacionamento em pé de igualdade com seu marido. Ofred conta o que aconteceu e o processo que levou a sua total separação da sua família, amigos e tudo que conhecia.

Não é fácil ler o livro, mas não é pra ser. É pra pensar mesmo como seria viver em uma sociedade em que direitos de controlar seu próprio corpo foram totalmente banidos, onde estupros são tratados com banalidade e nunca discutidos, onde cultura e lazer são supérfluos.

O livro foi escrito na Berlim Ocidental em 1985, quando o muro dividindo a cidade ao meio ainda existia e teve 1984, de George Orwell como grande inspiração. 32 anos após a primeira publicação a história ainda é importante, incomoda e é extremamente atual. Atwood chama o seu livro de ficção especulativa, mas afirmou que tudo o que acontece no livro já aconteceu em algum momento em algum lugar, e isso é assustador.

O que acontece no livro ainda acontece? O que poderíamos fazer pra mudar essa situação? As mulheres precisam lutar mais pelos seus direitos?
O livro te faz pensar e muito, além de ser uma distopia brilhante.

Livro RECOMENDADÍSSIMO! 😍

Já leram o livro? O que acharam?
Deixem suas impressões aqui nos comentários 👇

Título: O Conto da Aia
Autor: Margaret Atwood
Editora: Rocco
Lançamento: 2017
Páginas: 368
ISBN: 978-85-325-2066-1

27 anos, arquiteta, restauradora e nas horas vagas fotógrafa e masterchef. Bookaholic morando nas terras do Tolkien, Lewis, Rowling, Dahl, Carrol.

3 comentários

Write comentários
21 de junho de 2017 09:22 delete

Oi, Aline!
Eu estou vendo a série e ela é maravilhosa! Um dia pretendo ler o livro também.
Beijos
Balaio de Babados
Sorteio Três Anos do blog A Colecionadora de Histórias

Reply
avatar
21 de junho de 2017 21:08 delete

Oi Aline, tudo bem? Eu nem sempre gosto de distopias, confesso, mas pela resenha o livro parece ser mais denso e inteligente do que eu imaginava. Gostei da dica!

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Reply
avatar
28 de junho de 2017 14:56 delete

Oi Aline, tudo bem?
Tu sabe que mais do que ler o livro, eu to bem ansiosa pela série? Porque eu tenho medo do livro ser um gatilho muito forte, então acho que vou usar a série como teste e ver se sou capaz de ler o livro também. Só ouço elogios a ele, apesar de ser algo bem pesado, tenho bastante interesse.

Att.
Eduarda Henker
Queria Estar Lendo
Vídeo novo no canal: Aquele bookhaul longo e atrasado!

Reply
avatar