Resenha | Me Chame Pelo Seu Nome [Andre Aciman]

Olá leitores! 🙂
Ficção | | Ficção Gay | | 226 p | | Intrínseca | | 2018 | | Skoob | | Goodreads | | Classificação: ★★★★

Me Chame Pelo Seu Nome do autor americano André Aciman foi mais um livro que descobri por conta da adaptação para os cinemas. O filme foi indicado a diversos prêmios, como Globo de Ouro e Oscar e em várias categorias, incluindo a de ‘Melhor Roteiro Adaptado’. O roteiro foi adaptado por James Ivory, que levou o Oscar pra casa e se tornou a pessoa mais velha a ganhar a estatueta. O livro foi publicado pela primeira vez em janeiro de 2007 e ganhou o prêmio ‘Lambda Literary Award’ - a maior premiação de ficção LGBT - e já foi traduzido para dezenas de línguas.

A história se passa em uma pequena cidade italiana a beira mar nos anos 1980. É lá que Elio Perlman, um estudante de 17 anos cujo pai é pesquisador passa os quentes verões italianos. Todo ano, seu pai recebe um pesquisador assistente para uma residência de 6 semanas, em que o visitante o ajuda em suas pesquisas e afazeres diários, como correspondências. O pesquisador assistente do verão em que se passa essa história é Oliver, um americano de 24 anos de idade.

São as seis semanas que Oliver passa na casa dos Perlman, que são descritas em primeira pessoa no livro. É Elio que nos conta essa história; são memórias que lemos. São narrados acontecimentos felizes e positivos, a sensação que fica é de que aquele verão foi ótimo. Não poderia ser diferente, porque as memórias são de Elio e aquele verão foi de fato marcante e maravilhoso.

Me Chame Pelo Seu Nome é a história de um romance poderoso e súdito. Andre Aciman nos apresenta as nuances de um amor obsessivo, irresistível. A fascinação que se tem por alguém que se deseja tanto estar junto, o medo de que o desejo não é recíproco, da intensidade de cada sentimento, da intimidade de uma paixão. O resultado é um romance poderoso e muito bonito.

Fui levada pelos sentimentos de Elio, que por vezes me soaram tão conhecidos e por vezes tão distantes. Que me fizeram ansiar pela intensidade de um romance que marca duas pessoas para a vida toda.

“I had rehearsed losing him not just to ward off suffering by taking it in small doses beforehand, but, as all superstitious people do, to see if my willingness to accept the very worst might not induce fate to soften its blow. Like soldiers trained to fight by night, I lived in the dark so as not to be blinded when darkness came.”

O roteiro de James Ivory para a adaptação para o cinema é impecável e o Oscar que levou mais do que merecido. Ivory capta toda a intensidade da escrita de Aciman e a coloca no roteiro. O filme todo é impecável, e foi um dos meus favoritos para a corrida do Oscar desse ano. Quem quiser ler mais sobre a adaptação, recomendo esse artigo: B9 | Me Chame Pelo Seu Nome e esse podcast: Cinemático | Me Chame Pelo Seu Nome, porque não conseguiria de maneira alguma explicar melhor.

O que muito se discutiu quando a adaptação para o cinema foi de que muitos gays não se reconheciam no ambiente de uma casa abastada italiana. De que o que se via na tela não correspondia à realidade. Como não me sinto no direito de participar dessa discussão, apenas apresento o tema. Gostaria de pensar que sim, um ambiente acolhedor e abastado fosse a realidade de todos, mas infelizmente não o é.

Me Chame Pelo Seu Nome é um romance arrebatador e intenso, daquelas paixões que todos deveríamos ter uma vez na vida.

E quanto a vocês, curiosos? Viram o filme, leram o livro? Ou vão conferir?
Deixe seu comentário!

(Edição lida)
Título: Call Me By Your Name
Autor: Andre Aciman
Editora: Farrar, Straus and Giroux
Lançamento: 2011
Páginas: 256
ASIN: B004TLNO5O (Kindle Edition)

8 comentários:

  1. Oi Aline, tudo bem? Eu vi apenas o filme e achei bem interessante. Mas confesso que fiquei com vontade de ler a obra original :)

    Beijos Joi
    estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joi,

      A leitura do original vale muito a pena! Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  2. Oi, Aline!

    Ainda não assisti o filme, mas um amigo viu e também leu o livro e disse que ambos são muito bons, e que a adaptação ficou fiel até. Quero muito conferir ambos! Ótima resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol,
      Como toda adaptação há algumas coisas que são diferentes do livro, mas o que realmente chamou a atenção foi o clima, os diálogos. Ambos muito semelhantes no livro e no filme, e pra mim o que de fato marca o livro.
      Espero que goste dos dois!
      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  3. To louca pra ler esse livro desde o filme que to adiando por causa da leitura. Ele é um dos próximos na minha lista e to bem ansiosa!!

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clarissa,
      Espero que a hora deles chegue logo! A experiencia de leitura é incrível!
      Obrigada pela visita.
      Beijos

      Excluir
  4. Oi Aline, tudo bem? Pois é, eu tenho amigos gays que não curtiram o filme, mas acho que é uma história de amor acima de tudo. O filme tem uma fotografia linda, mas ainda preciso ler o livro!

    Bjs, Mi
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi,
      Sim, uma história de amor acima de tudo. A fotografia é linda mesmo, o filme foi gravado em 35 dias, dos quais apenas 5 foram de sol. O feito foi incrível!
      Espero que goste do livro também.
      Obrigada pela visita,
      Beijos

      Excluir